Concurso TJ PE 2017: Edital para nível médio e superior.

Cresce a expectativa de realização do concurso público do Tribunal de Justiça de Pernambuco (Concurso TJ PE 2017). Neste início do mês de março a organizadora escolhida, o Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC), se reunirá para tratar de detalhes a respeito do edital do certame.

A empresa organizadora foi escolhida pelo Tribunal através do pregão eletrônico, que chegou a contar com 10 empresas classificadas (veja abaixo). Desse quantitativo, as primeiras oito colocadas foram consideradas desclassificadas por não comprovarem os requisitos exigidos, abrindo caminho para o IBFC, que ficou na 9ª colocação, organizar o concurso TJ/PE 2017. O certame programa oferecer 60 vagas em cargos de técnico e analista, com requisito de nível médio e superior, respectivamente.

O Concurso TJ PE 2017

A expectativa é que o edital tenha 60 vagas, além de formação de cadastro reserva nos cargos de Técnico e Analista Judiciário, com requisito de nível médio e superior, respectivamente. De acordo com a minuta do contrato, os inscritos serão avaliados por provas objetivas, discursivas e estudo de caso (conforme cargo). As avaliações serão aplicadas em Araripina, Arcoverde, Carpina, Caruaru, Garanhuns, Jaboatão dos Guararapes, Limoeiro, Olinda, Palmares, Pesqueira,  Petrolina, Recife, Salgueiro, Serra Talhada e Vitória de Santo Antão. A expectativa é que o edital de concurso do Tribunal de Justiça de Pernambuco seja divulgado até janeiro de 2017.

Salários e Benefícios do Concurso TJ PE 2017

Os salários do Técnico Judiciário chegam a R$ 4.102,39, enquanto os analistas fazem jus a remuneração de R$ 5.215,28, ambos por jornada de trabalho de 40 horas semanais. Além da remuneração, os aprovados contarão com R$ 504,60 de auxílio-alimentação, R$ 232,54 de auxílio-saúde e R$ 123,20 de auxílio-transporte.

O cargo de Analista Judiciário – Área Judiciária requer graduação de curso de nível superior de graduação em Direito, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC. O Analista terá missão de realizar atividades de apoio técnico e administrativo, favorecendo o exercício da função judicante pelos magistrados e/ou órgãos julgadores; Acompanhar as diversas fases dos processos e atendimento ao público; Desenvolver atividades nas áreas: Judicial, Corregedoria, Consultoria e Assessoramento, Gestão de Pessoas, Gestão Judiciária, Gestão Administrativa, TI e Comunicação; Executar outras atividades da mesma natureza e grau de complexidade.

O Analista Judiciário – Área Administrativa tem exigência de Diploma ou certificado, devidamente registrado, de curso de Ensino Superior em qualquer área de formação, inclusive licenciatura plena, reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC). O cargo terá missão de realizar atividades de apoio técnico e administrativo, favorecendo o exercício da função judicante pelos magistrados e/ou órgãos julgadores; Acompanhar as diversas fases dos processos e atendimento ao público; Desenvolver atividades nas áreas: Judicial, Corregedoria, Consultoria e Assessoramento, Gestão de Pessoas, Gestão Judiciária, Gestão Administrativa, TI e Comunicação; Executar outras atividades da mesma natureza e grau de complexidade.

Já o Oficial de Justiça tem exigência de diploma ou Certificado devidamente registrado, de conclusão de curso superior em Direito, fornecido por Instituição de Ensino Superior reconhecida pelo Ministério da Educação. O Oficial terá que executar ordens judiciais e diligências externas relacionadas com a prática de atos de comunicação processual e de execução de decisões, sentenças e acórdãos, além daquelas previstas na legislação processual e decorrentes do cumprimento de decisões administrativas e jurisdicionais, inclusive avaliação de bens penhorados, nos termos do art. 680 c/c o art. 652, ambos do Código de Processo Civil. Exercer outras atividades de mesma natureza e grau de complexidade.

Por fim, o cargo de Técnico Judiciário/TPJ – Área Judiciária e Administrativa tem exigência de certificado, devidamente registrado, de conclusão de curso de ensino médio (antigo 2º grau) ou de curso técnico equivalente, expedido por Instituição de Ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC). A função terá tarefa de desenvolver atividades a fim de fornecer apoio técnico (jurídico e administrativo), favorecendo o exercício da função judicante pelos magistrados e/ou órgãos julgadores e o exercício das funções necessárias ao adequado funcionamento das áreas do Poder Judiciário: Judiciária, Administrativa, Corregedoria, Consultoria e Assessoramento, TI e Comunicação, Gestão de Pessoas e Judicial; Atuar nas audiências, digitar sentenças e outros documentos, acompanhar as diversas fases dos processos e atendimento ao público. Executar outras atividades da mesma natureza e grau de complexidade

Concurso TJ PE 2017

Deixe seu Comentário.

Comentários